Você está na idade da pedra

Parece que você está navegando em um iStone, pois o seu navegador não suporta javascript ou o seu javascript está desativado. Por favor, ative o javascript e recarregue a página.

Resposta ao artigo “Opinião – Sim, Hideo Kojima é um desenvolvedor de jogos de esquerda. Por Pedro Zambarda” – Lucre Bem
Cotação do mercado de criptoativos nas últimas 24 horas. Visualizar todos os criptoativos disponíveis Temos um presentão pra você, descubra.
  • Português
  • English
  • Aqui você se promove e ainda pode ganhar dinheiro.
    Saiba +

    Resposta ao artigo “Opinião – Sim, Hideo Kojima é um desenvolvedor de jogos de esquerda. Por Pedro Zambarda”

    5
    (2)

    Um amigo me enviou essa pérola https://dropsdejogos.uai.com.br/noticias/industria/opiniao-sim-hideo-kojima-e-um-desenvolvedor-de-jogos-de-esquerda-por-pedro-zambarda, que afirma que Metal Gear é uma franquia que defende pautas de esquerda. Tá, Metal Gear Solid agora defende pautas de esquerda, era sol que me faltava.

    Metal Gear é uma franquia com temática de guerra e espionagem, que traz uma crítica libertária anarcocapitalista, que se passa principalmente no século 20. E o que aconteceu no século 20 mesmo, quais foram os eventos históricos? O autor deu muita ênfase no MGSV e não falou muito sobre os outros títulos. Quando ele menciona a parte dos Patriots mesmo, ele diz que é uma crítica a um estado totalitário (fascista), mas como, se toda forma de estado é fascista, já que o Estado não permite nada fora dele? O Estado quer controlar tudo, regular tudo, então o próprio Estado é fascista. Assim como toda forma de estado é socialismo. O Estado sendo grande ou minarquista, ele continua sendo um monopólio da força. Como são classificados os grupos que ameaçam o monopólio da força estatal? Terroristas. São chamados de terroristas, mas ninguém os chama de “Estado 2, Estado 3, Estado 4”, mesmo eles tendo um nível de organização parecido com o do Estado moderno, da mesma forma que ninguém chama o Estado moderno de terrorismo, mesmo ele se monopolizando através da violência contra gente inocente e indefesa.
    Os elementos socialistas presentes na franquia Metal Gear apenas representam contextos históricos e aspectos da trama que precisam ser explicados e exemplificados, a opinião do autor é libertária anarcocapitalista, ou pelo menos é o que dá a entender.

    Em MGS2 há uma crítica pesada ao controle sistêmico feito através da mídia e outros meios de comunicação, não há nada citando um lado ideológico a ser defendido. Inclusive a crítica de Kojima em MGS2 previu todo o controle e censura de informação que temos hoje com as mídias sociais como Facebook e YouTube. Aí vem um comunista, e todo comunista é desonesto intelectualmente, e tenta enfiar a porcaria da ideologia dele onde quer que ele coloque as mãos (como é de costume). Vejam isso ” participei de um workshop de formação cultural em jogos do BoJoga realizado com apoio da Prefeitura de Fortaleza, Ministério do Turismo e governo federal. Foi uma discussão sobre ativismo político e games políticos com o Daniel Valentim.”, o que Metal Gear tem a ver com um workshop de Fortaleza, de um bando de gente discutindo sobre como enfiar ideologias políticas em jogos? Os caras tentam se apropriar de tudo, até mesmo de uma franquia que é claramente contra a ideologia deles.

    Fica claro em toda a saga a insistência de Hideo Kojima em mostrar como o mundo vive um jogo de controle político, onde ele até mostra as ilusões ideológicas, como ele fez isso em MGS1, MGS2, MGS3 e MGSTPW, onde o protagonista começa com uma visão de mundo distorcida, mas ele não sabe disso, pois ele acredita estar certo (assim como as pessoas que acreditam na ilusão entre direita e esquerda), e no final da estória ele percebe que ele e outros foram manipulados por uma máquina política que atende a interesses de indivíduos com mentes doentias, TANTO QUE NO FINAL DE METAL GEAR SOLID – THE PEACE WALKER (aqui ninguém liga pra spoiler, se vire com os seus sentimentos), O SNAKE ATÉ CRIA UM EXÉRCITO PRIVADO, um exército sem fronteiras (an army without borders), cuja filosofia é seguir preceitos éticos, não lutando por país nenhum, bandeira nenhuma, isso é bem especificado no final do jogo, o protagonista ainda fala que ele e os demais serão confrontados por gente de todo o mundo (por assim dizer) e que apenas os tempos dirão as consequências. Snake e seu exército privado são mercenários não controlados pelo sistema, o que o Estado moderno classifica como “terroristas”, embora eu não esteja dizendo que terrorismo seja algo bom, já que esses são os tipos de mercenários nos quais o Estado não consegue exercer controle. Em toda a franquia fica bem claro a insistência de Kojima em mostrar que não devemos defender ideologia alguma, de como personagens ao longo da estória defendem ideologias e os próprios delírios, e de como as pessoas são manipuladas pelas sistema, e a medida em que a estória se desenrola, o jogador vai vendo como as coisas não são bem o que ele imaginava no começo. Toda a trama de cada jogo canônico de Metal Gear é baseada no plot de uma red pill libertária anarcocapitalista que vai sendo administrada ao longo da mesma.

    O mais próximo do comunismo que a mentalidade do Kojima poderia chegar é o anarquismo clássico, mas nem isso, pois Kojima em momento algum incentiva o jogador a ser violento (a revolta violenta contra o sistema é uma das marcas registradas do anarquismo clássico), ele claramente incentiva o jogador a ser pacífico (não confundir com pacifista), ele permite que todo o jogo seja zerado sem matar ninguém, por exemplo, o protagonista começa com uma arma tranquilizante, e inda bonifica o jogador por isso, pois quanto mais rápido e com menos fatalidades o jogador finalizar o videogame, melhores serão as recompensar após o zeramento.

    A mensagem que Kojima passa é a de que todos os envolvidos no plot se dividem em dois lados: o lado manipulado e o lado manipulador, onde inclusive ele deixa implícito que até os soldados do exército inimigo são manipulados, por isso ele incentiva o jogador a não matar, mas a botar o inimigo pra dormir com dardos tranquilizantes ou a passar despercebido. Kojima mostra a vaidade dos personagens e a futilidade da mesma, Kojima mostra como o protagonista começa acreditando em um delírio romântico, que é a famosa história do “bem contra o mal”, e como ao longo da estória ele gradualmente percebe que não há luta entre o bem e o mal, que o mal propriamente dito são aqueles que segregam e controlam as pessoas. Por isso insisto em dizer que há uma mentalidade libertária anarcocapitalista na franquia MGS, ou eu poderia dizer: paleolibertária. Há uma mentalidade paleolibertária por causa de três elementos:
    1 – Mostrar como as pessoas são controladas pelo sistema e pela própria vaidade.
    2 – Incentivar o jogador a resolver os conflitos sem matar.
    3 – Implicitamente Kojima defende preceitos éticos: por mais que o jogador seja incentivado a não matar e a não defender ideologias, ainda assim o jogador é incentivado a fazer o que é certo, e o que é certo é aquilo que é defendido pelo paleolibertarianismo, que não é apenas a liberdade, como também a propriedade e a vida.

    Em nenhum Metal Gear Solid Kojima mostra que roubar e matar pessoas inocentes e indefesas são algo ético, algo correto, coisa que ideologias como Comunista e Nazismo claramente defendem em prol de um bem comum. É de uma piada de mal gosto, e de uma total ignorância em relação a obra, dizer que Metal Gear Solid defende pautas esquerdistas.

    Epic Face Palm

    Não sei se Kojima ele mesmo chega a ter tendências de esquerda, por mais que o artigo mostre uma foto dele com um quadro do Che na parede e um chapéu soviético, como o próprio artigo diz “Hideo Kojima na turnê de lançamento de Death Stranding: Com Che Guevara e na Rússia. Foto: Reprodução/Instagram”, ele pode muito bem estar fazendo isso para agradar aos fãs, para aparecer ou para qualquer fim que não seja ideológico. O que importa é que em Metal Gear ele não defende o comunismo e nem ideologia estatal alguma como algo ético, e também ele como pessoa não dá a entender que ele apoia ideologias genocidas.

    Kojima na Russia
    Hideo Kojima na turnê de lançamento de Death Stranding: Com Che Guevara e na Rússia. Foto: Reprodução/Instagram

    O que você achou disso?

    Clique nas estrelas

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

    Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

    E que tal deixar de comer um pastel só por hoje

    e doar o dinheiro para os colaboradores? Vamos lá, eles merecem. 😎

    Pessoas que tornaram esse conteúdo possível:

    Você também poderá se interessar por:

    Curso Youtube para Negócios: Aprenda a usar o Youtube para turbinar as suas vendas!

    Você [Realmente] se importa com os seus clientes?

    Descubra como sobreviver a grande depressão de 2020

    Volta às aulas: Compre da China e economize até 90%

    Ainda pensando se deve ir embora do Brasil ou não? Veja mais de 33 motivos fortes para sanar a sua dúvida

    Demonstrativo: Background animado em CSS3, com loop infinito, de Super Star Socker Deluxe

    O que vender na faculdade, escola, rua, praia, na crise!

    0 Comments

    Leave a Reply

    XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

    DMCA.com Protection Status

    Bloqueador de anúncios detectado / Adblocker detected

    Adblock

    🇧🇷 Anúncios são a nossa principal fonte de renda.
    Por favor, adicione o nosso site à lista de exceções do seu bloqueador de anúncios, caso queira visualizar o conteúdo. Prometemos não te incomodar com anúncios popups invasivos. Alguns navegadores, como o Brave, utilizam um bloqueador de anúncios nativo, então pode ser necessário que você abra dois bloqueadores para adicionar o nosso site às listas de exceções.

    🇺🇸 Ads are our main source of income. Please add our website to your ad blocker whitelist, if you want to see the content. We promise not to display invasive pop-up ads.
    Have in mind that some browsers, such as Brave, use native ad blockers, so you may need to open both blockers to whitelist our website.