O conservadorismo, a igualdade “social” e o direito à vida, liberdade e propriedade

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

0
(0)

Tive notícias um tempo atrás de que os brasileiros estão sendo atacados e mortos na Irlanda.

Isso poderia ter sido evitado, mas não é evitado por que ambos conservadores e socialistas são idiotas úteis. Um lado quer hegemonia, o outro lado quer igualar à força, enquanto que o mercado quer competir por recursos escassos, resultado: Todo mundo briga, o mercado não vai parar pra satisfazer a vontade de ninguém e o Estado sai vencendo.

Para explicar melhor: Pessoas (o mercado) sempre irão optar por morarem em lugares que aumentem suas chances de sobrevivência e melhorem sem bem estar, nenhuma pessoa em suas faculdades mentais quer ou gosta de morar num lugar ruim. As pessoas querendo sair do socialismo extremo de um país de terceiro mundo buscam ir morar em países de primeiro mundo para poderem ter uma vida digna, o que é ético, pois são apenas os direitos de liberdade e propriedade sendo exercidos, mas tem dois problemas: quem já é do país de primeiro mundo não quer “invasores” de outras culturas, o que a princípio não é ético, mas vira ético (vou explicar isso mais adiante), enquanto que há pessoas compassivas, muitos com inclinação para o esquerdismo, que irão discordar daqueles que pregam hegemonia. Como os direitos justnaturais são…. NATURAIS, acaba que o lado mais fraco da corda arrebenta pro lado de quem está indo contra a natureza humana, ou seja, quem se ferra nisso são os conservadores.

O problema da hegemonia não é nem a parte do racismo em si, pois sentimentos são apenas sentimentos, uma pessoa simplesmente dizer que não gosta de uma determinada “raça” é apenas uma particularidade dela, o problema da hegemonia é que ela abertamente viola os direitos de propriedade, liberdade, e em casos extremos: o direito à vida. E como a hegemonia se torna algo extremo? Enquanto as pessoas puderem se expressar, mesmo que os grupos se segreguem em comunidades diferentes, ainda assim as coisas ficarão sob controle por um tempo, ou seja, enquanto não houver censura à liberdade de expressão de um grupo, as coisas estarão “normais”. O problema é que o lado que é formado majoritariamente por pessoas compassivas e minoritariamente por oportunistas querendo tirar vantagem da situação (políticos, ideólogos, YouTubers influenciadores, corporações, dentre outros) irá igualar as coisas à força, usando o braço do Estado.

O Estado força as pessoas a aceitarem o que elas não gostam, isso nutre nelas um sentimento de frustração e raiva, até o ponto em que elas se unem e começam a cometer atrocidades. Vocês já viram o tamanho da população brasileira na Irlanda? Pois é, é enorme. Tem gente que até fala que só tem brasileiros na Irlanda.

Aqueles protestos nos EUA, que eu prefiro não mencionar o nome pra pode evitar a Zuckagem, também são uma forma de irritar um determinado grupo. Chega uma hora, que de tanto apanhar, o covarde vira valente e reage, mas até mesmo isso é premeditado na democracia, pois isso abre espaço para mais intervencionismo estatal.

Socialistas querem igualar as pessoas à força, enquanto que conservadores querem a hegemonia como forma de “evitar conflitos entre grupos diferentes”, mas ambos estão errados. Se o indivíduo não gosta de determinados indivíduos, seja pelo motivo que for, basta não associar-se a eles.

Autores

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *